Cada Dia

24 de Abril de 2014

UM CLAMOR POR RESTAURAÇÃO


“Restaura, Senhor, a nossa sorte, como as torrentes no Neguebe” 
Sl 126.4


O Salmo 126 retrata a alegria do povo de Israel pelo retorno do cativeiro. Os três primeiros versículos olham para o passado com gratidão pelo livramento de Deus. Os dois últimos versículos olham para o futuro, entendendo que precisamos semear, ainda que com lágrimas, para voltarmos com júbilo trazendo abundantes feixes. Mas, o versículo quatro, olha para o presente e faz um forte clamor: “Restaura, Senhor, a nossa sorte como as torrentes do Neguebe” (Sl 126.4).

Três verdades são destacadas aqui: primeira, as vitórias do passado não são garantias de sucesso hoje. O povo havia se alegrado com o livramento do cativeiro, mas agora, mesmo de volta à sua terra, estava vivendo um tempo de sequidão. Segunda, em tempos de crise precisamos buscar a Deus em oração. A crise nunca impediu a mão de Deus de agir. Os grandes avivamentos nasceram do ventre da crise. Quando reconhecemos nossa sequidão, clamamos pelas torrentes restauradoras de Deus.

Terceira, somente Deus pode mudar a nossa sorte. Somente Deus pode trazer vida num cenário onde a morte mostra sua carranca. Somente Deus pode transformar nossos vales secos em mananciais. Assim como Deus faz brotar torrentes de águas no deserto do Neguebe, também irrompe com vida abundante a partir da sequidão da nossa alma.

Referência para leitura: Sl 126.1-6